sábado, 20 de dezembro de 2008

CONTO DE NATAL. Cronica por Edna Costa.

Cena um:

Noite de natal. Na grande sala iluminada, a menina ricamente vestida abriu a caixa e tirou a mais bela
boneca que jamais tinha visto. Loira, de longos cabelos cacheados e grandes olhos azuis, a boneca
parecia-se com ela.

Ficou por alguns minutos com o presente pairando no ar, para logo em seguida tomá-la pelas mãozinhas mimosas e pôr-se a rodopiar pela sala cantando e dançando, arrancando sorrisos de ternura e alegres exclamações dos familiares e convidados.

Vieram muitos presentes mais e finalmente todos sentaram-se à mesa para a ceia. Lá fora podia-se sentir os aromas das comidas, ouvir os risos felizes, o tilintar de copos e a conversa animada.

Cena dois:

Noite de natal. Na casa humilde, a menina pobremente vestida encostou a cadeira na janela, ajoelhou-se nela e olhando para o céu, pensou: será que este ano ele vem? Mas o tempo foi passando, o sono chegando e nada do bom velhinho aparecer. Finalmente o pai, tristemente, a pegou já quase adormecida e colocou-a na cama. Como sempre, não haveria ceia e nem presentes.

No dia seguinte, mais uma vez sentiria decepção quando a mãe - com o coração partido - contaria a mesma história de sempre: que talvez Papai-Noel não tivesse achado o endereço ou quem sabe teria se perdido ou este ano não teria dado tempo para entregar todos os presentes. Mas, diria com falsa alegria na voz, no próximo ano ele virá, com certeza!

As duas histórias são reais e foram vividas,respectivamente, por minha prima rica e pormim, durante muitos natais. O tempo passou, elacontinuou rica e eu deixei de ser tão pobre.Felizmente Deus não permitiu que eu ficasse revoltada ou marcada de maneira negativa.

Hoje eu amo o natal com suas luzes brilhantes colorindo casas, ruas e cidades. E o que dizer das vitrines das lojas? Elas são um espetáculo à parte de criatividade, beleza e pura magia.

Mas ainda tem uma sombra que me entristece; é pensar que ainda existe muita criança pobre esperando pelo bom velhinho, que talvez nunca chegue para realizar seu sonho de natal.

6 comentários:

Márcia Regina disse...

Anoiteceu, o sino gemeu

e a gente ficou, feliz a rezar.

Papai noel, vê se você tem,

a felicidade, pra você me dar.

Eu pensei que todo mundo

fosse filho de papai Noel.

Bem assim felicidade eu pensei

que fosse uma brincadeira de papel.

Já faz tempo que eu pedi

Mas o meu Papai Noel não vem.

com certeza já morreu

ou então felicidade é brinquedo que não tem.

Triste, mas muitas vezes, uma realidade. Edna querida, Um bom princípio de ano prá você, que deus ilumine tods os teus dias. 1.000.000 de beijocas

Edna Costa disse...

Obrigada querida, que esses votos sejam pra todos nós. 1.000.000.000 de beijos pra você tambem.

Nancy disse...

Edna, com certeza, o maior presente que temos é ter a nosso favor, o nosso universo interior. Vivenciando todas as realidades, seja ela qual for e sairmos livres, ilesos, das coisas e pensamentos ruins. Esta é a nossa maior riqueza amiga. Sairmos vencedores sempre com Jesus em nosso coração. Com AMOR. Um beijo no seu coração de Nancy

Edna Costa disse...

Nancy, além das sábias palavras, você é um amor! Muito obrigada, amiga. Super beijo pra você e fique com Deus.

Carla Cavellucci Landi disse...

Dona Edna, sua mae tinha razao: Papai Noel veio, talvez um pouco atrasado, e te deu 3 bonec"o"s, com quem a senhora pode brincar de verdade ;). E o mais legal eh que estes bonecos arranjam amigos, enchendo sua casa de risadas e fazendo dela um Natal por dia. Nao eh demais?
Um beijo.

Edna Costa disse...

Carla querida, voce tem toda razao, só depois de "crescida" entendi como Deus me deu presentes lindos; meus filhos, saude, família, amigos e por aí vai. Obrigada pela visita e volte sempre. Beijão pra voce e sua familia linda.